Resenha Cervejeira: Skol Hops

24 de setembro de 2018 26 Por blogmundodacerveja

Por: Pedro Freitas

Olá galera cervejeira, tudo bem com vocês?? 

A cerveja de hoje tá dando o que falar no meio cervejeiro, e o BMdC não poderia ficar de fora de toda essa “polêmica”. Sim galera linda que gosta de cerveja boa, o BMdC foi ver qual é a da Skol Hops, que segundo seu fabricante: “é uma cerveja puro malte diferente. Sua receita é feita com lúpulo aromático exclusivo que, além de conferir o aroma e sabor únicos à cerveja, dá uma sensação muito refrescante a cada gole. Então, compramos uma latinha e experimentamos a Skol Hops, e bora falar dela!! 

Da mesma forma que fazemos com todas as cervejarias que passam aqui no BMdC, não poderíamos deixar de contar um pouco da história da Skol. Engana-se quem pensa que a marca Skol nasceu por aqui, a origem da marca tem início exatamente no dia 25 de agosto de 1964 na Europa, quando quatros importantes cervejarias, Allied Breweries (Reino Unido), Labatt (Canadá), Pripps-bryggerierna (Suécia) e Unibra (Bélgica), em uma tentativa de criarem uma marca global de cerveja, que seria licenciada para ser produzida em vários países, fundaram a SKOL INTERNATIONAL. Na língua sueca, Skol (escreve-se skål) significa “à vossa saúde/à nossa saúde”, expressão que muitas pessoas usam antes de fazer um brinde ao levantarem seus copos. A cerveja SKOL PILSEN chegou ao Brasil pouco depois, em 1967, sob licença, após alcançar grandes resultados no velho continente. Mas a missão no mercado brasileiro era complicada, afinal existiam marcas centenárias como a Antarctica, Brahma e a Bohemia. Inicialmente foi a pequena Cervejaria Rio Claro, fabricante da tradicional Caracu, que lançou o produto no mercado brasileiro, e na sequência a Brahma adquiriu a marca para uso exclusivamente no país. O restante, muita gente já sabe, a Skol foi a primeira cerveja a ser vendida em folha de flandres (laminado composto por ferro e aço e revestido por estanho); a primeira lata em alumínio, permitindo assim a conservação da cerveja gelada por muito mais tempo; a embalagem long neck com tampa de rosca e a lata de 473 ml (conhecida como latão da SKOL) entre outras coisas. 

Vendidas em latinhas de 269 ml, com 4,0% de graduação alcoólica (IBUs não informados) a Skol Hops é uma cerveja de coloração palha límpida e brilhante, com espuma branca de baixa formação e duração, lembrando muito a Skol tradicional. Em sua embalagem ela diz que sua receita contém um lúpulo aromático exclusivo, realmente seu aroma é um pouco diferente da Skol tradicional, mas pra isso tem que enfiar o nariz no copo pra sentir esse aroma diferente, um leve floral, bastante discreto, muito pouco pra quem bateu forte na tecla de estar usando um lúpulo aromático. Seu sabor me trouxe uma péssima lembrança, na hora que foi o primeiro gole, lembrei na hora da Kronenbier, uma das primeiras cervejas sem álcool do mercado brasileiro. Cerveja bastante aguada, baixíssimo amargor e um adocicado do malte bastante evidente, com um corpo muitíssimo leve. 

Opinião do BMdC sobre a Skol Hops: Nossa opinião se resume a uma frase: Miraram no diferente, e acertaram no comum. A Skol tradicional, pela sua proposta, é uma boa cerveja. Porém, a Skol Hops teve muita propaganda que essa cerveja era diferente, mais aromática, e na realidade temos uma pequena mudança no seu aroma. Mais do mesmo em se tratando de Skol. 

Cerveja vendida em todos os pontos de venda do Brasil. E você, já bebeu a Skol Hops? O que achou dela, gostou ou não gostou?? Conta pra gente no final da postagem ou no nosso e-mail bebacomagente@blogmundodacerveja.com.br 

Saúde galera cervejeira e bora beber!!