BMdC Entrevista – Janaína Pinho

4 de março de 2020 1 Por blogmundodacerveja

Por: Pedro Freitas

Olá galera cervejeira!! Tudo bem com vocês??

Bora continuar a falar de mulher cervejeira?? E o melhor, com mulher cervejeira de muita fibra!! E hoje vou bater um papo com a deusa, louca, feiticeira, cervejeira Janaína Pinho, a querida @beerinfluenza do Instagram, dona do Booombar, bela ferramenta de busca de bares em Curitiba, e também da BeHop Acessórios!! Bora conversar com essa Mulher Maravilha!!!

 

BMdC –  Como, onde, quando e  porque se interessou por cervejas artesanais??
Janaina Pinho– Cerveja Artesanal era uma tradição de família, minha avó fazia receita da trisavó dela. Há uns 12 anos eu era apaixonada por Dry Stout (Guiness) e tomava algumas Weiss. Mas foi em 2015 q me apaixonei pelas lupuladas e aí foi um caminho sem volta.
BMdC –  Você é uma multimulher, fazendo e acontecendo no meio cervejeiro. Como foi que surgiu o Booombar?
Janaína Pinho –  Eu sou uma louca q não para quieta (risos), bem verdade. O Booombar surgiu da difícil missão de achar em um só lugar atrações na cidade que envolvessem cerveja artesanal, assim como bares, eventos, cervejarias. Um dia uma colega comentou q gostaria de fazer um blog tão bom que a chamariam pra beber de graça. Eu como boa executiva, montei um projeto, nome, logo, e trabalhei por muito tempo de graça e sem beber de graça (risos) até conseguir monetizar essa ferramenta que hoje é a maior de Curitiba pra divulgação exclusiva de notícias do mundo cervejeiro local.
BMdC –  E a Be Hop Acessórios, como foi que saiu essa ideia linda?
Janaína Pinho – A Be Hop foi doido. Cacei por semanas acessórios de lúpulo pelo mundo inteiro e não achava nada, definitivamente nada que realmente parecesse um lúpulo. Era tudo pinha ou alcachofra (risos). Aí num dia qualquer, imaginei a peça, desenhei, comprei o material necessário e demorei 5 horas pra fazer um par de lúpulos bem feinho na verdade (risos) mas já fiquei feliz. Hoje, em 5 horas eu produzo entre 30 e 40 Lupulinhos. A Be Hop é a única no mundo a reproduzir o lúpulo em formato similar e com porcelana fria. Um orgulho pra mim. Virei artesã!
BMdC –  Tem alguma novidade, algum acessório novo vindo??
Janaína Pinho – Estou fazendo testes com imãs de geladeira e botons. Mas sou muito chata, só vou colocar na linha quando eu realmente gostar do resultado.
BMdC –  E as palestras, como que saiu essa ideia? Já temos algum lugar confirmado para suas palestras?
Janaína Pinho – As palestras fazem parte de um sonho de muitos anos pra realmente aproveitar minhas qualificações em oratória, vindas de diversos cursos durante anos. Quando participei da Heroína Sem Capa, um projeto voltado pra despertar ação nas mulheres, resolvi arriscar e sinceramente? Amei o resultado. As palestras voltam em Abril, pra que consiga cumprir agendas de trabalho como o lançamento da minha cerveja e o festival brasileiro da cerveja. Logo volto pra estrada!
BMdC –  Pergunta básica, chata e necessária. Já sentiu aquela olhada desconfiada no seu trabalho por conta de ser mulher?
Janaína Pinho – Por conta de ser mulher sofri preconceito em todos os setores. Dois pontos fortes da minha carreira que vai pra 22 anos de vendas,  com especialização na área comercial avançada, passei por corretagem de imóveis de alto padrão, onde o assédio era absurdo em imóveis vazios e depois no setor de logística emergencial aérea Door to Door, onde meus clientes de contas chave, inicialmente preferiam homens, até que eu provasse meu potencial. Na cerveja não é diferente. Estou terminando o curso de Homebrewer pela Escola Superior de Cerveja e Malte e apesar de não ser uma sommelierè, busco conhecimento em todos os canais disponíveis, com profissionais renomados e faço laboratórios de meses, antes de qualquer projeto envolvendo cerveja. Mas percebo que “ainda” sou só mais uma blogueira de cerveja, pra muitos homens.
BMdC –  E quando percebe isso, o que você faz pra driblar essas coisas?
Janaína Pinho – Eu gosto de trocar ideia! No sentido exato da palavra. Gosto que me questionem, que me testem, assim consigo mostrar que não sou leviana quando digo que conheço algo e que também não me acanho quando não conheço e peço que me ensinem, se se dispõe.
BMdC –  Qual a sua perspectiva para o mercado cervejeiro em se tratando da mulherada cervejeira?
Janaína Pinho – Eu acredito que todos os dias mais mulheres percebem que nossas ancestrais usavam da sua sensibilidade e destreza pra produzir o alimento líquido pra diversos povos. E que em momento algum na história, fomos subordinadas na produção. Tarefas substituídas e homens percebendo o prazer de se obter resultados “cozinhando” nos afastaram do que sempre foi um dom pro nosso gênero e digo sem medo: somos curiosas, detalhistas, analíticas, cuidadosas e com tanto apreço por trazer a perfeição, estou  certa de que quebraremos tabus, romperemos barreiras e nos colocaremos a cada dia em posições cada vez mais importantes dentro das linhas de produção.
BMdC –  Você tem muita gente que te ama e te admira, quer deixar um recadinho pra galera?
Janaína Pinho – Ah, essa parte é fácil e deliciosa. Todos os dias me questiono se as escolhas q fiz são realmente as “certas” pra vida. E em cada mensagem, cada reação, cada depoimento, em toda interação, percebo esse carinho inenarrável que recebo de pessoas que nem pude abraçar ainda. E juro, minha vontade era de poder seguir todos os meus seguidores de volta. Poder interagir com cada um – e olha que tento fazer isso (risos) – porque é basicamente por essa turma que eu não desisto e que eu continuo buscando melhorar, a cada dia. É um tipo de amor, virtual, mas que me vem como alimento pra alma, poder continuar contado com a força de vocês! Muito obrigada.